terça-feira, outubro 23, 2007

Maquinações diárias da (a)normalidade


Que raio de título para um Post...

Eu explico: ao tomar conhecimento por um artigo de um dos nossos semanários que - nos países mais civilizados - a percentagem de cidadãos que sofrem de perturbações mentais andará pelos 30% (trinta!!) achei que era esta uma afirmação perfeitamente descabida e fiquei com curiosidade para saber quais os termos que enquadrariam semelhante "boutade".

Parece que dentro da gaveta "perturbações mentais" cabe muita coisa, desde a doença mental incapacitante até às suas vertentes mais "normais" como a ansiedade, as fobias ligeiras, etc...

Mesmo assim dá que pensar. É natural que em qualquer um de nós exista sempre um grão de comportamentos fora do normal, nalgumas vezes mais visível do que noutras. E se começarmos a fazer listas de situações mais ou menos estranhas que conhecemos....

Recordo um bom Amigo, colega da faculdade, a quem eu via repetidas vezes a trocar o cartuxo da caneta de tinta permanente ainda com a tinta a meio ou quase. Parece que - segundo ele me disse - tinha medo que se lhe acabasse a tinta numa altura em que tivesse algo de importante a assinar... Ora este meu colega era professor universitário e a única coisa que assinaria de mais responsabilidade eram os Livros de Termos no final de cada ano lectivo... Uma vez por ano...

Eu próprio, confesso, começo a ficar nervoso quando o indicador da gasolina no carro passa do "meio tanque"... Este carro a Diesel faz à vontade 1000 Km com um depósito cheio, o que significa que a minha preocupação se começa a instalar tendo eu ainda uns 500 Km de sossego antes de atestar...

Meu Avô, ribatejano descendente de alemães, tinha - segundo os registos familiares - a "mania da pontualidade". Os vizinhos acertavam o relógio pelos seus passos na altura em que saía e regressava a casa, no Estoril...

Mais tarde, era eu Director de Grandes Contas nos CTT, tive ocasião de testemunhar o caso de um grande Cliente nosso, cujo nome obviamente omitirei, mas que chegava recorrentemente 45' a uma hora mais cedo a todos os eventos dos CTT para que era convidado.
Tinha "medo de chegar atrasado" e, como era militar de formação, parecia-lhe ser esta a pior das más-educações. O pior é que eu também tive de começar a chegar a tal "hora" antes só para o receber...

E mais, muito mais: o proprietário da Empresa Gráfica que trabalhou para os CTT a fazer selos durante mais de 50 anos não anda de elevador e raramente (só por obrigação) entra num avião.

O "Beira Mar" tinha um cliente português que levava ...os seus próprios talheres para o restaurante, assim como uma garrafinha com azeite...

Etc, etc,...

Afinal, e depois de pensar um pouco, parece que a tal frase do artigo que me surpreendeu é bem capaz de estar errada mas por defeito... quem fez bem foi a minha afilhada que escolheu a especialidade de Psiquiatria...

Um comentário:

Zé disse...

Malucos, estamos todos a ficar um pouco, dado que de poetas e loucos todos temos um pouco, assim como se sacanage.
Com a envolvente que nos rodeia,como é que um home se aguenta.
Está tudo loco e para mais até o Benfica não convence.
Mas com a pressão e as informações e contra informações os dislates,mas que pouca vergonha é esta?
E não vai um homem ficar meio chanfrado?
Se calhar se os números forem mais correctos a realidade é outra, muito mais realista ...basta cada umm ver bem as suas maluqueiras..,,fugiram 30 malucos do Julio de Matos já apanharam 100 e não é nenhum dos que fugiu.
Há já me esquecia com a flexi e o trado Europeu agora é que vai ser...vamos crescer, a educação e a iliteracia, funcional é claro vai acabar, vai desaprecer o défit do Estado (ah mas que estado?), mas vai continuar mais na casa de cada um, vai ser tudo numa boa...E NÃO QUEREM QUE HAJA 30% DE MALUCOS?
Peca por defeito o número.