segunda-feira, setembro 04, 2006

If? A Relatividade de um Mito Desportivo


Penso que se lembram do filme com o título deste Post, passado num colégio interno Inglês e que lida com a hipótese dos alunos descobrirem um arsenal de armas de guerra e se revoltarem contra o "status quo" de uma certa "Mitologia de Império - Rule Brittania" imposto com castigos corporais, manifestando a sua discordância de forma sangrenta e impiedosa.

IF... (Inglaterra - 1968)
Starring: Malcolm McDowell, David Wood, Richard Warwick, Christine Noonan, Robert Swann
Directed by: Lindsay Anderson

O Realizador explora as franjas do "possível" e da Realidade Alternativa nesta obra inquietante, o que me fez pensar - com as devidas distâncias - em dedicar um Post ao "What If?" de um Portugal onde o Gil Vicente teria ido para a frente com o seu processo nos tribunais Civis arrastando como consequência o impedimento da participação portuguesa em todas as competições internacionais de futebol, de Clubes e da Selecção Nacional.

À primeira vista - e por estranho que nos pareça - não seriam muito importantes as consequências directas e efectivas, materiais, do "Embargo" desportivo da FIFA.

Decerto que FCP, SCP e SLB sofreriam grandemente nas suas finanças o facto de não poderem estar na Champions, e de duas formas: pela ausência do quinhão que lhes caberia dos direitos televisivos em caso de Vitória ou Empate e pela falha nas Receitas dos Jogos em casa.

Por outro lado os outros Clubes apurados para a UEFA também seriam penalizados, mas sobretudo pelas Receitas de Bilheteira potenciais que não concretizariam.

De todo em todo - e faço uma estimativa por alto, supondo que os nossos três Grandes poderiam, em média, atingir os Quartos de Final da Champions, e ainda que os estádios estariam sempre cheios nos desafios em casa - estariamos a falar de perto de 85 Milhões € (17 Milhões de Contos) no Total.

A este valor somaríamos o Investimento Publicitário não concretizado, em Portugal, em Jornais e TV's - no Mundial cifrou-se em 9 Milhões de €, vamos supor que seria o dobro para o caso das Competições da FIFA\UEFA - 18 Milhões € (3,6 Milhões de Contos).

Os Jornais desportivos e a Imprensa em geral sofreriam uma quebra de vendas difícil de contabilizar... Admitimos que com resultados quantificáveis também na ordem dos 18 Milhões € (3,6 Milhões de contos).

Tudo Somado teríamos aproximadamente 121 Milhões € (24,2 Milhões de Contos)

É dinheiro, claro, mas em termos relativos informo - por graça - que:

a) O Mercado de Comida para Animais de Estimação movimenta em Portugal 200 Milhões € por ano (40 Milhões de Contos)...
b) As Vendas de CD's em Portugal, representaram, em 2004, 118 Milhões €. Mesmo com a "pirataria" e os MP3 a subir em flecha...
c) O "culto do corpo" representou, em 2004, 100 Milhões € em Portugal e só falo dos Fees pagos nos Health Clubs e nas Clínicas especializadas (Persona, Corporacion Dermoestetica)...

Agora existiriam decerto efeitos secundários de relevo:

- A Auto-Estima dos desportistas de bancada ficaria pelas ruas da amargura.
- O Bem- Estar social era capaz de se degradar.
- As pessoas pensariam mais naquilo que é de facto importante. Nas condições de Vida, na Política e na Economia do País (é isto um Mal tão grande assim???!)
- Para vender mais os MCS teriam de promover o Ciclismo, ou o Atletismo, etc...
- O País Desportivo da Bola passaria, se calhar, a viver em Ciclos Olímpicos (Futebol olímpico ainda não é controlado pela FIFA...).

Como contrapartida disto tudo até poderia ser que o Tribunal Internacional da Haia (ou qualquer outro com competências para este Caso) desse -em última análise - razão ao Gil Vicente e se fizesse História à custa de uma humilhaçãozinha da FIFA (que bem necessitada está de se libertar de um certo Complexo de Deus).

2 comentários:

Anônimo disse...

Caro Raúl

A tudo isto eu acrescentaria ainda as quebras no sector do turismo (viagens, hotel, restauração, bar) assim como o que fazer aos milhares de portugueses que aproveitaram as promoções dos seus clubes e compraram pacotes que incluiam além dos jogos do campeonato os três primeiros jogos da Liga dos Campiões.
Mais será que o presidente do Gil Vicente além de mostrar aos seus sócios os documentos que provam ou não a sua razão, também lhes mostrou quais as consequências da sua posição, pelo que sei o seu clube poderá ser suspenso de toda a actividade ligada ao futebol durante VÀRIOS ANOS.


Um abraço

Paulo Mendonça

Zé disse...

É realmente surrealista o desnvolvimento e como se transforma num megaprocesso o que em orgãos que funcionassem de forma eficaz, ter-se-ia resolvido em dias,caso os interesses que se cruzam no Futebol Nacional fossem claros.
São argumentos desportivos, jurídicos,económicos,financeiros,emocionais,tirania da Fifa.....vale tudo para defender a sua dama....basta de espectáculo triste e agressão a quem realmente gosta de Futebol nas quatro linhas,gostava mais de o praticar mas como tudo tem o seu tempo.
É evidente que este espectáculo mediatizado por todos os orgãos de informação,vem demonstrar o tipo de tráfico de influências e de interesses cruzados em se encontram num Jogo e que até tem servido para que se descentrem as atenções do problemas que realmente afectam o país-crescimento,deficit externo,desemprego,saúde,deslocalizações de empresas,ensino....Justiça ah! esta vai à boleia do caso...estão a atingir-nos na nossa auto-estima...é realmente uma grande palhaçada...para rentré, depois de férias nada melhor que este filme...com piratas,lobos,cordeiros,anjinhos....mas quem manda é o Major...há muitas leis no futebol...mas há a lei do Major...é a última instância...desde lições de Gestão,de Organização,de Direito,"Tirania",de Tráfico de Influências....há indícios mas nada se prova...vem cá estranhos dar-nos lições(FIFA) de como nos devemos comportar? ora essa? queres ver estes...Bom Censo.. a bem do Futebol que efectivamente não passa de um jogo e que os verdadeiros interesses deste jogo, que transforma pessoas,aonde se cruzam paixões,comportamentos por vezes irracionais,que trás por isso atrás de si multidões,estejam em primeiro lugar...Neste processo há muito poucos INOCENTES E ANJINHOS....QUE FALEM VERDADE E UM POUCO DE PUDOR ....NOS MENTIDEROS DIZ-SE QUE O GIL AGIU INCENTIVADO POR ALGUÉM QUE ARRANJARIA AS COISAS...SÓ QUERIA SER MOSCA E PODER ASSISTIR ÀS CONVERSAS DE CORREDOR...Deixem o Futebol em Paz...é infelizmente o que vemos na classe dirigente..todos querem sair e estão fartos,estão saturados dos ataques à sua honorabilidade,estão lá para servir e ainda tem de aturar isto?mas não largam a TETA...PALHAÇADA..PANEM ET CIRCENSIS