sexta-feira, maio 25, 2007

Deserto a Sul


Há dias em que um Homem não pode sair de casa... Nem que seja Engenheiro diplomado pelo Ténico e com inscrição na Ordem...

Assim foi anteontem o que aconteceu ao Ministro Mario Lino, ainda por cima com cobertura mediática em directo.

Compreendo que uma frase do tipo " a Sul é um Deserto" não agrade a muitos dos habitantes desses arrabaldes - por acaso a mim nem me desagradaria se acompanhando o deserto viessem também uns milhares de poçitos de petroil... - mas há que dar desconto ao Homem carago!

Foi dito coloquialmente, foi para justificar uma coisa complicada que mete aviões e apeadeiros aéreos chiça! Haja boa vontade e menos raiva anti-governamental militante. Dêem uma abébia ao Engenheiro que é das Obras e não de Transportes...

Agora a sério, nem sete nem setenta!

O Engº Mário Lino deve pedir imediatamente desculpa pela inconveniência da má "bocada" mas por outro lado não se faça disso uma cerimónia pública de "queima-ministros" parecida com os autos-de-fé inquisitoriais!

E quem nunca tenha errado do mesmo modo que atire a primeira pedra, seja o Dr. Marques Mendes ou o Dr. Paulo Portas - ou já se esqueceram, por exemplo, do espanto deste último na tomada de posse quando soube que era Ministro de Estado?

2 comentários:

Anônimo disse...

Se a Sul temos deserto, gostaria que o Srº Ministro me explicasse porque é que eu demoro em média 1H por dia para fazer 40KM??? Devem ser as tempestades de areia, ou então os camelos que se vêm "abastecer" a Norte...

Zé disse...

O sr, ministro das obras-públicas ao comentar o projecto de aeroporto na Ota, consegue uma coisa incrível, quanto mais pretende defender a bondade e o interesse na solução,mais dúvidas cria em todos.
Os seus argumentos não tem por onde se lhe pegue.Então esta última intervenção na Ordem dos Economistas é no mínimo anedótica e insultuosa, já não pode ser considerada como infeliz.
Um projecto tem uma análise custo benefício, independentemente dos parâmetros que o poderão condicionar, na análise.Que também terão de ser claros.
Sejamos claros e responsáveis, que é o que o ministro parece não saber ser.Arranja cada argumento? que? faz favor!!!
O Dinheiro é do Zé pagode e depois não há responsáveis.
Bom senso,humildade e respeito pela coisa pública é o mínimo exigível.
Independentemente de se ser Engenheiro inscrito na ordem. Parece que não sabe justificar devidamente a decisão sobre um Projecto e é Ministro...
Mas porque é na Ota e não noutro,local?Áh! agora parece que já pode ser noutro sítio?...não naqueles que tem sido apresentados...porque é assim..ora porque é..é preciso decidir...parece que há muito mais por baixo do projecto...haverá?o zé pagode já começa a desconfiar?...
Cenas dos próximos capítulos...O ministro é decidido... vai com o projecto em frente..este país o que precisa é de quem decida...Ball´s são necessários.
Os Sulistas que se cuidem, lá é só deserto e "camêlos"...até já o ministro diz o... Pinto da Costa é que tem razão...
Bom Senso, clareza e humildade...quanto mais vejo discutir o aeroporto de Lisboa, sou um leigo nisto e quero acreditar que será uma decisão pensada,técnicamente adequada, responsável, amadurecida,com uma análise clara de custo benefício.Ser uma decisão politica não lhe permite as aberrações que já ouvi ao pretender justificá-la. Já se vai no insulto,o que virá a seguir?..a ver vamos. A teimosia não é sinónimo de inteligência, nem de capacidade de decisão... é burrice.Os ERROS ESTRATÉGICOS não tem RETORNO...(Educação,saúde,modelo de desenvolvimento,reforma Social, Ordenamento territorial,povoamento/desertificação...)POR ISSO AINDA HOJE PAGAMOS MUITOS...O sr. primeiro-ministro José Sócrates vai resolver isto...IRÁ?...