domingo, setembro 25, 2005

Logística e os CTT - Luis Delgado (La Redoute) Comenta

O nosso Amigo e Cliente Luis Delgado mandou-nos um comentário sobre o Artigo "Logística e os CTT":

Logística e o Grupo CTT

Não posso estar mais de acordo com o texto publicado!
Na minha opinião pessoal, não vinculativa da empresa em que trabalho, acho que a diferença está na Atitude de quadros e chefias intermédias.
Inegavelmente os CTT tem as melhores infra-estruturas para “abafar”todo e qualquer tipo de concorrência que se queira instalar, senão vejamos:

v Mais de 1000 Estações de Correios
v Mais de 2000 Agentes
v Frota de transportes nacionais com cobertura diária de 100% do território
v Equipa de carteiros que diariamente “toca” em 3,6 milhões de caixas postais!

Mas...

Falta a atitude do prestador de serviços.
A preocupação constante e obsessiva de obter e manter elevados níveis de serviços. Sempre mais e melhor, sempre com optimismo e sempre com humildade.
A preocupação com os reais constrangimentos que são causados, aos clientes, pela disparidade do nível de serviço, a importância que tem levar ao cliente final a correspondência que lhe é endereçada, independentemente do “produto” que se trata.

Em venda à distância se o catálogo é a montra, o DM é o vendedor!

Como nas lojas, se o vendedor não for oportuno ou chegar tarde o cliente não compra, e se o cliente não compra...

Em resumo, os níveis de serviço têm que ser encarados com seriedade, rigor e muita disciplina. Não basta fazermos bem uma vez de vez em quando e com a média estarmos satisfeitos. Não, é preciso fazermos bem... todos os dias.

Os CTT sabem fazer BEM, são o 4º ou 5º melhor operador de Correios a nível Mundial!

Será necessário entregar os DM a uma empresa sedeada no Reino Unido ou na Holanda para que os padrões de distribuição sejam levados a sério e os respectivos tempos contem para a performance do Correio Internacional?

Honestamente espero que não, mas o tempo será o melhor juiz!

Luís Delgado

Um comentário:

Zé de Braga disse...

Um cliente dá a sua opinião,constantando as vantagens das infra-estruturas dos CTT,que potenciadas devidamente podem ser Vantagens Competitivas inegáveis para a Empresa.
Refere todo o Potencial existente.Refere uma Rede de enorme potencial que é a Rede CTT.Que fará a diferença, se por exemplo, o Carteiro for um prestador de Serviços e não sòmente um distribuidor eficaz de correspondências, o mesmo para o condutor e para o TPG, o mesmo para qualquer Trabalhador.
Como é possível não aproveitar este Potencial?
Os clientes são diferentes e as suas necessidades também.O Cliente de Lisboa e Porto é diferente do de Freixo de Espada à Cinta ou da Vidigueira.Também aí há Mercado.As soluções oferecidas terão que ser forçosamente diferenciadas.O país é assimétrico.O Modelo de Negócio tem de ser segmentado de acordo com as potencialidades do mercado e o tipo de Clientes.
Parece-me que estamos a procurar soluções idênticas á do modelo de desenvolvimento do País (já esgotado e que parece que finalmente se procura alterar).
Há que rendibilizar e adequar as infra estruturas,adequando o Modelo de Negócio ás potencialidades locais do Mercado (quer em termos de Produtos,de Serviços),potenciando o capital de Confiança na Marca.
Há que diferenciar no Marketing e fazer marketing direccional e não Global (notoriedade).
Os CTT são uma Empresa de Serviços. É um Cliente que refere,ser uma questão de atitude das Pessoas para a tornar insuperável no mercado.
Porque é que as pessoas não tem, no entender deste Cliente,a atitude adequada com o Mercado e o Cliente.Vejamos algumas questões que nos parecem que em parte justicam esta actuação:
Cultura de Monopólio,situações Clientelares,Familiares,Sindicais,Políticas.Problemas de Líderança,falta de proximidade das Chefias,comunicação interna deficiente,actuação à distância,Pressão sobre os resultados,sem convencer da sua necessidade (vencer não convencer),grupos de auto-defesa,arbitraridade na "negociação" e definição dos objectivos,desajustados por vezes, da Capacidade Instalada e potencialidades do Mercado ( a "Trabalhador" tratará o Cliente como o tratam a ele).
Já se aperceberam do Potencial existente em todos os Trabalhadores dos CTT?Como desenvovê-lo? é em parte dada a resposta poeste Cliente.Não tenho dúvidas que é uma área Chave do desenvolvimento sustentado da Empresa.
A Líderança,encarar as Pessoas como Activos e não custos,são elas que fazem e farão a diferença (num mundo cada vez mais Global,valorização dos activos Intangíveis e economia do Conhecimento) a clareza de Processos,a Responsabilidade e Responsabilização,a Confiança,o Envolvimento, a Formação (só aprende quem quer,naõ basta comprar uma máquina de escrever para não dar erros),a Motivação... a aposta nas Pessoas... criarão uma verdadeira Cultura orientada para o Cliente(teremos o Carteiro com uma linguagem idêntica à do Presindente do Conselho de Adminstração).Sucesso Garantido