sexta-feira, junho 15, 2007

O Crime compensa?


Vem hoje em todos os jornais que o famoso estudo que dá precedência a Alcochete face à Ota foi encomendado e pago por vários empresários, destacando-se Joe Berardo, Alexandre Patrício Gouveia, Manuel Mello, Carlos Barbosa e mais uns 15 que não autorizaram divulgar o seu nome porque (e cito) "Temos vários negócios com este Governo e temos medo das represálias"...

Por outro lado um dos jornais económicos de referência também alvitra hoje que a CIP "negociou" com o Governo retirar deste mesmo estudo a hipótese de manter a Portela, porque era esta a única forma do mesmo Governo concordar em mandar analisar o dito estudo.

E porquê?

É que sem o produto da venda dos terrenos da Portela não há financiamento para o novo Aeroporto!

Ora bem, se melhor entendo ,o Estudo (qualquer Estudo) não interessa nada!!

Querem lá saber - quem decide está visto - se a localidade da Trofa é melhor para o aeroporto do que a de Alcabideche! O importante serão apenas duas coisas:

a) Que o façam rapidamente e Grande, para ocupar mão de obra, contribuir para o aumento do PIB e mascarar o desemprego durante o tempo que durar a respectiva construção.

b)Que nem sequer pensem em manter a Portela, pois será com os €s da venda dos terrenos onde hoje está instalado o Aeroporto de Lisboa que se pagará o Novo Aeroporto.

Se era assim, é assim e será assim, porque é que existe tanta polémica?

Ainda admito que, como diz o Comendador Berardo, parece normal pagar-se menos por um bilhete de avião do que por uma viagem de Táxi para chegar ao Aeroporto, mas sem ser por esse tipo de argumentos lógicos e racionais tanto faria a Ota como Alcochete como - com V. licença - o Lugar onde o Diabo perdeu as Botas...

E dir-me-ão: Então para construir um Aeroporto não há considerações de segurança - dos voos, dos passageiros, das tripulações??!!

Só se for na Europa e restante Mundo civilizado. Aqui parece que não...


Um comentário:

juryaum disse...

Quanto mais leio e oiço sobre a telenovela do aeroporto da Portela e os estudos encomendados,feitos,por fazer,decisões tomadas,por tomar,decisões técnicas versus políticas,mais me convenço da falta de qualidade, de estrutura,de capacidade de análise, da superficialidade e da falta de sentido de Estado em decisões desta Natureza,de tosdos os intervenientes políticos.
É confrangedor o espectáculo, que Ministros,deputados, apoiantes do Governo,oposição tem dado.
Até as intervenções da sociedade Civil,são vistas como denunciadores de interesses mesquinhos.....são os Lobbies ou os lobos?prontos a comer à mesa do Estado....
São os prasos, é o dinheiro da CE, é a urgência, são os que antes estiveram no poder, que quando lá estavam diziam e faziam uma coisa e hoje dizem precisamente o contrário...mas afinal aonde estamos?....Quem fala verdade? O primeiro ministro desapareceu?...serão as recomendações dos acessores de imagem?
AH! é a presidência Europeia.
É preciso arrumar bem a casa do vizinho e dar imagem de que a nossa...
Afinal para um investimento desta natureza,parece que muita coisa está por analisar e por comparar?!!!
Decisões, qualquer que elas sejam tem de ser devidamente analisadas,ponderadas e fundamentadas,independentemente da legitimidade política para as tomar.
Erros estratégicos não tem retorno e infelizmente tem-se cometetido tantos( Modelo de Desenvolvimento,Emprego e Natureza do Emprego,Educação e Qualificação Profissional,Iliteracia e Analfabetismo Funcional-o mais grave-Saúde,Segurança Social,Dimensão e Funções do Estado,Despesa Publica,Ordenamento Territorial....),porquê? o Zè é que paga e é de brandos costumes e pouco exigente...coitado contenta-se com pouco....
Não consigo perceber o porquê detanto argumento, de que é assim pois claro, e agora anda tanta gente interessada no problema?...somos poder e o poder usa-se...mas legitam-se pelo uso....
Algo não está claro ou vai mal no reino dos estudos e análises de Projectos Governamentais...por isso depois derrapam e é o que se vê...quando "erros/fraudes" de 700.000.000 de euros do erário público são justificados...são só 0,05% do PIB( não sei se a conta está certa,mas para o caso pouco interessa)...aonde estamos?...ou será que as decisões políticas não carecem de fundamentação e clarificação necesária q.b.?ou estaremos como aquele Gestor que justificava tudo com actos de Gestão...
Competência,Bom Senso, Rigor,Clareza,Responsabildade,Exemplo,Sentido de Estado... senão ninguém acredita em ninguém e sem credibilidade e confiança, não há regime que resista...
O Zé é de brandos costumes mas não é Burro...até este atira a albarda ao ar quando o peso é demasiado...e o esforço que se está a exigir é muito grande...
Determinação não é sinónimo de casmurrice ou teimosia....parece que afinal o projecto ainda tem muito para analisar...esperemos pelas cenas dos próximos capítulos e que não seja o Zé a arcar com um eventual erro...BOM SENSO E SENTIDO DE ESTADO É URGENTE ou PROCURA-SE.