segunda-feira, abril 02, 2007

Á Tramossos e Minuims

A frase do título "Á Tramossos e Minuims" encimava como letreiro uma velha tasca da Pontinha por onde eu costumava passar de olho já apontado no saudoso António Cordeiro do verdadeiro Barrote Atiçado.

Não sei porquê mas esta frase - na sua ingenuidade que nos faz hoje rir - também sempre me lembrou do salazarismo, com a sua pobreza intelectual, falta de cultura cívica - éramos dos poucos europeus que cuspiam para o chão por entenderem que "era mais higiénico do que engolir"- e atraso com que se encarava a escolaridade obrigatória e outras modernices.

As mulheres são para estarem em casa! Em casa onde há galo não canta galinha! Estudar para quê? Pôe-no é a aprender uma profissão!! Etc...Etc...

Esta politicazinha da casinha limpinha e do trabalhinho que dava para pôr o comerzinho na mesinha foi muitas vezes entendida como Virtude: Trabalho sério, nada de poucas vergonhas, pão e vinho sobre a mesa!

Eu- que na altura era miúdo - sempre a entendi como opressora. Desde o tempo em que o Reitor do Liceu de S. João do Estoril mandava as contínuas baixar as bainhas das saias às minhas colegas!

Por isso já gritávamos (baixinho, que o tempo não era para grandes valentias de putos com 15 anos): E que viva o deboche (civilizado) !! Abaixo a contenção cinzenta e opressora!! Deixem passar a Liberdade com o peito à mostra (tipo Marianne - Jane Birkin de quem todos estávamos mais ou menos enamorados).

Um comentário:

Zé disse...

Depois de tantos comentários a respeito de um concurso televisivo, que vale o que vale,conformme o comentário de um leitor e que elegeu como o melhor português Salazar?!!!!,o Botas.
Para além do resultado ser uma reacção de "fundamentalistas" quero dizer indefectivos de um lado e do outro, basta ver as percentagens dos resultados, Salazar e Cunhal.
Não será também um processo reactivo ao estado da Nação? Tal como um leitor também comenta, aonde há muita semelhança que se mantém relativamente ao passado, quer no que respeita às clientelas,às oportunidades-uns são mais iguais que outros,ao nepotismo, ás frustradas expectativas,a uma certa ditadura dos partidos-partidocracia, em substituição de Direitos de cidadania, que no estado actual se vive?
Não são só "Á Tramossos e Minuins" são as duas versões da casa Portuguesa.
Uma casa Portuguesa é com certeza, pão e vinho sobre a mesa.Quando à porta humildemente bate algúem, senta-se à mesa com a Gente.
Fica bem esta franquesa fica bem,que o povo nunca desmente.A alegria da pobreza está nessa grande riqueza de dar e ficar contente.Quatro paredes caiadas um cheirinho a alecrim. Um cacho de uvas doiradas, duas rosas num jardim. Um S.José de azulejos mais um sol da Primavera. Uma promessa de beijos.Dois braços à minha espera.É uma casa Portuguesa com certeza é com certeza uma casa Portuguesa....canção que diz muito das expectatitivas, conformismo, aceitação do poder.... e a outra versão... Uma casa Portuguesa fica bem mesmo à beirinha do rio.Quando à porta desabridamente bate alguém deve ser o Senhorio.O bondoso senhorio pra alegrar,tem sempre suas manobras,vem buscar a pastelória todos meses e promete fazer obras.Mas agora "arresolvi" não mais pagar sem pÔr a escrita no rol, e da linda casa minha faça-me uma praiazinha pra tomar banhos de Sol.Quatro paredes descaiadas um cheiro nauseabundo.As portas esfrangalhadas. Eu vivo no fim do Mundo.As portas sem fechadura, já não me ralo com isso. Cães e gatos com fartura, vão lá fazer o serviço.É uma casa portuguesa no "desembrio" e culpa é do bondoso Senhorio...versão vernácula corrente à época, da Casa Portuguesa Portuguesa.
É isto que me merece como comentário o concurso do melhor português de sempre.
Casa em que mulher manda até o Galo canta fino.
Portugal não é um País pequeno.
Orgulhosamente sós.
Isto não vai lá senão com quatro ou cinco Salazares?
Porquê este estado da Nação? São as habilitações do 1ºministro?é a descida de impostos?é a carga fiscal? são as ameaças de perda de fundos estruturais? é a Ota? são as indemnizações dos Gestores Públicos? é o Prace? é a insegurança no emprego? são os professores e os funcionários públicos que são "responsáveis" e que tem baixa produtividade e precisam de mão-de-ferro? são os estudos dos ministérios e os assessores dos gabinetes dos ministros e os seus chorudos honorários?são as incompatibilidades? são os gastos e controlo dos Gabinetes e as promiscuidades? é o síndrome da pescada" antes de ser já o o era"? é o faz de conta?é Estado a mais? e depois disto ganha o Botas o concurso.Vou alí e venho já.